Pesquisar este blog

domingo, maio 19

Dia do Acadêmico do Direito: que tal pesquisar?




Dia 19 de maio é data reservada para comemorar o Dia do Estudante do Direito. Aqui em Pelotas são muitos os estudantes que se dividem entre as duas Universidades nas quais atuo como professora. Centenas de alunos freqüentam, diariamente,  o Curso de Direito da Universidade Católica de Pelotas e, na mesma medida, cursam Direito na Faculdade de Direito da Universidade Federal de Pelotas.

Neste dia em que se  festeja o Acadêmico de Direito, faço, os alunos de ambas as Universidades – Federal e Católica –,  um convite:  que tal conhecermos um pouco mais sobre o que pensam os estudantes dessas universidades acerca de temas como:

a)      Reconhecimento das relações homoafetivas: são favoráveis ou não?
b)      Descriminalização do uso de drogas: são favoráveis ou não?
c)       Descriminalização do aborto: são favoráveis ou não?
d)      Diminuição da idade para imputabilidade penal: são favoráveis ou não?
e)      Escolheram cursar direito por vocação?
f)       Estão certos da escolha que fizeram por cursar direito?
g)      Qual a área de preferência no Direito?
h)      Entendem necessária a reforma da legislação penal?
i)        Reconhecimento da pena de morte: favoráveis ou contrários?
j)        Aumento do tempo da pena privativa de liberdade: favoráveis ou contrários?
k)      Aumento do rol de crimes hediondos: favoráveis ou contrários?
l)        Descriminação racial: uma realidade ou um mito?
m)    Outros...

A ideia é formar grupo de estudo e pesquisa em ambas as Universidades – para os quais me coloco à disposição para coordenar, sem excluir outros professores – a fim  escolhermos os temas que nos interessam  para conhecermos e traçarmos um perfil do pensamento desses estudantes. Para tanto, prepararemos um questionário, e aplicaremos o instrumento, providenciando, depois, a tabulação dos resultados e a divulgação dos dados, a fim de revelarmos as tendências de pensamento do acadêmico de Direito, se mais conservadoras, moderadas ou progressistas.

A investigação também será útil para apurarmos o conhecimento acerca de técnicas quantitativas e qualitativas de pesquisa, ferramental próprio para a argumentação jurídica, através do desenvolvimento da capacidade de analisar criticamente os dados empíricos coletados. Servirá, por fim, para conhecermos e pensarmos sobre os anseios profissionais e as visões do mundo dos futuros bacharéis.
Que tal? Espero que haja interessados em  participar desse Projeto.

Quem estiver disposto ao trabalho deve encaminhar comentário aqui mesmo no Blog, clicando no link comentário, aí na barra inferior, abaixo da postagem, dando seu nome completo,  período ou ano que cursa  e a Instituição (UCPel e UFPel) a que pertence.

Aproveito a oportunidade para abraçar a todos os acadêmicos de Direito, muito especialmente os meus queridos alunos  da UCPel e da UFPel.

(Interessados podem encaminhar e-mail para anaclaudialucas@hotmail.com)

6 comentários:

Gabriela disse...

Olá, professora! Gostaria de te parabenizar pela iniciativa da pesquisa, pois, como recém-graduada pela UFPel e integrante de grupo de pesquisa e especialização na UFRGS, vejo o quanto me fez falta esse tipo de incentivo durante a graduação o que, por vezes, ocorre pelo desinteresse dos próprios alunos. Em havendo um estímulo por parte dos professores, torna-se mais fácil e motivante aos estudantes adentrar no mundo da pesquisa que, aos poucos, vejo o quanto pode ser proveitoso e interessante. A reflexão está em falta no mundo acadêmico, pois noto que cada vez mais os alunos da graduação querem o que está resolvido, as súmulas, as jurisprudências consolidadas e não meios para que construam seu próprio pensamento acerca de um tema a fim de, quem sabe, formarem novo posicionamento sobre algo que parecia superado. O Direito, para evoluir, precisa da sociedade e de meios para que o conhecimento se concretize. Enfim, como tua ex (e eterna) aluna, parabenizo, mais uma vez, pela iniciativa de fomentar a construção de um pensamento, e não apenas a informação rápida e mais aceita - que, certamente, também é importante, pois pode servir de ponto de partida para a mudança, mesmo que essa seja radical e revolucionária. Parabéns pela professora que és, educadora, como grande parte dos professores na UFPel, principalmente no tão querido e escolhido pelos alunos "núcleo penalístico". Um beijo grande!

Obs.: Não precisa publicar o comentário aqui, visto que não respondi ao questionamento especificamente e não quero "bagunçar" a postagem; apenas queria deixar um recado para a sra.

Angélica Vellar disse...

Olá professora Ana Cláudia.
Meu nome é Angélica Almeida da Silva Vellar, e curso o 5º ano de Direito na Universidade Federal de Pelotas, no período noturno.

Rê... disse...

professora será que os formados, que se apaixonaram pela pesquisa depois de uma monografia orientada pela senhora, poderão participar?

Cláudia Schuster Pereira disse...

Oi Professora. Eu me interesso em participar do grupo. Sou a Cláudia Schuster Pereira, do 6º ano-noite, sua orientada no TCC. Beijos.

Yanne Menezes disse...

Ótima iniciativa, professora! Atividades como essa acrescentam muito na nossa formação acadêmica, intelectual e moral!

Nome: Yanne Menezes Oliveira
Ano: 3º (matutino)
Instituição: UFPel

Yanne Menezes disse...

Ótima iniciativa, professora! Atividades assim fazem falta e acrescentam MUITO na nossa formação acadêmica, intelectual e moral!

Nome: Yanne Menezes Oliveira
Ano: 3º (matutino)
Instituição: UFPel